LOUVAR É BENDIZER AS GRANDEZAS E OS FEITOS DE DEUS (Salmo 145)

“As pessoas estão morrendo famintas da grandeza de Deus, mas muitas delas não fariam este diagnóstico de suas vidas perturbadas” John Piper.

Acreditamos que somente o verdadeiro louvor que enfatiza a glória de Deus é vital para manter a saúde espiritual da igreja. Pois, “se a busca da glória de Deus não for colocada acima da busca do bem humano nas afeições do coração e nas prioridades da igreja, o homem não será bem servido e Deus não será devidamente honrado.” John Piper (Alegrem-se os povos)

Música de louvor é técnica e literalmente música em que cantamos as grandezas e os feitos de DEUS. Qualquer coisa diferente disso, não é louvor.

Existem outros tipos de músicas, que são úteis para outros propósitos. Por exemplo, na Escola Bíblica Dominical as crianças cantam a sequência dos livros da Bíblia, histórias de personagens bíblicos como aquela antiga música de Barnabé de Chipre, etc… Óbvio que isto não é louvor! Mas tem outra utilidade, como a memorização por exemplo. Creio até que, durante uma pregação ou estudo, podemos usar a letra de uma música ou poesia (secular ou cristã) para reforçar algum ensinamento Bíblico, ilustrar (lançar luz) uma verdade, enfatizar um ponto, algo que faço muito, consciente de que isto não é uma música de louvor.

O verdadeiro louvor deve nos levar a literalmente bendizer a Deus e toda congregação deve participar. Um Culto que gira em torno de um grande Coral, por exemplo, que faz maravilhosas apresentações e que a congregação não participa, é no mínimo estranho pois o propósito de um coral ou grupo de louvor deveria ser o de conduzir e auxiliar a igreja na adoração enquanto todos cantam. Creio até que eventualmente podemos ter, como fazemos, músicas que contam e narram histórias bíblicas em uma Cantata ou logo após uma pregação, onde a congregação não participa e apenas o grupo canta. A letra pode ter o propósito de enfatizar e ajudar a fixar a mensagem pregada ao narrar eventos e histórias Bíblicas ou de personagens Bíblicos, mais do que propriamente bendizer os grandes feitos de Deus. Isto pode acontecer e acontece, e creio que pela própria natureza deste estilo, o propósito é outro. Uma música, logo após uma mensagem por exemplo, pode reforçar o que foi pregado sem necessariamente convidar a igreja para se colocar em pé e louvar a Deus. Já fizemos isso muitas vezes.

Mas o pior de tudo mesmo é chamar a igreja para louvar (bendizer os feitos de Deus) e cantar as músicas evangélicas de hoje que enfatizam os feitos do homem e não de Deus. Letras como “Quero subir, quero tocar, quero pisar…” claramente não têm nada de louvor. Tem música que parece mais um mantra gospel, pois repete infinitamente palavras que não dizem nada a respeito das grandezas de Deus. São pobres na letra, nos arranjos, na melodia… em tudo! Posso gostar e ouvir em meu carro ou em minha casa, em momentos de entretenimento como ouço qualquer outra música, evangélica ou não. Gosto não se discute! Mas no louvor, meu gosto musical não pode ser mais importante e sobrepor ensinos claros e precisos da Bíblia.

A Igreja Presbiteriana do Brasil é uma igreja bíblica-reformada, e assim, acredita que devemos cantar as grandezas e os grandes feitos de Deus como lemos no Salmo 66, que nos convida a dar glórias a Deus e louvá-Lo dizendo: Dizei a Deus: Que tremendos são os teus feitos! Pela grandeza do teu poder.” (Salmo 66)  Louvar significa literalmente bendizer, e se o Culto é para o louvor de Deus, as músicas adequadas para louvor são somente aquelas que exaltam os grandes feitos e a grandeza de Deus e não do homem. Somos convidados a louvar a Deus pelo que Ele é e pelo que Ele faz. Os Salmos nos ensinam isso, leia atentamente o Salmo 145:

1 Exaltar-te-ei, ó Deus meu e Rei; bendirei o teu nome para todo o sempre. 2 Todos os dias te bendirei e louvarei o teu nome para todo o sempre. 3 Grande é o SENHOR e mui digno de ser louvado; a sua grandeza é insondável. 4 Uma geração louvará a outra geração as tuas obras e anunciará os teus poderosos feitos.  5 Meditarei no glorioso esplendor da tua majestade e nas tuas maravilhas. 6 Falar-se-á do poder dos teus feitos tremendos, e contarei a tua grandeza. 

Qualquer outra ênfase musical pode ser útil para entretenimento pessoal, mas nunca para conduzir o podo de Deus em louvor e adoração.

LOUVAR: BENDIZER AS GRANDEZAS E OS FEITOS DE DEUS (Salmo 145)

 

Anúncios
Publicado em Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s