Cantamos aquilo que cremos?

LOUVOR.jpg
A música GOSPEL em cinco categorias, com sua ênfase de acordo com cada contexto em que foi composta, refletindo suas respectivas teologias e crenças, em uma escala de qualidade progressiva:
1o. Ênfase Neopentecostal: (Cântico triunfalista, enfatiza o sucesso do homem em detrimento da glória de Deus. De acordo com sua teologia, seus cânticos nos ensinam a determinar e exigir as bênçãos de Deus, o homem é senhor de sua história e destino, Deus é servo. Gera frustração, decepção e abandono da fé a longo prazo).
2o. Ênfase Pentecostal: (Obsessão por cura e vitoria, ensina e estimula a tomar posse da bênção, faz declarações de curas e vitórias humanas em detrimento da dependência de Deus, não leva o adorador à humildade, não enfatiza mudança e transformação de vida, nem submissão à vontade soberana de Deus. Um pouco menos pior que a anterior, mas ainda assim, ensina que o homem é senhor de sua história e destino e Deus é um servo. Gera frustração, decepção e desânimo na fé, ao enfrentar a realidade da vida e a longo prazo também pode levar o cristão a abandonar sua fé).
3o. Antibíblica e antropocêntrica: (Centrada no homem, enfatiza os atos dos homens e não os atos de Deus, canta-se o que os homens fazem, falam, tocam, pisam, sobem, descem, etc. Não se canta os atos e as grandezas de Deus, não tem nada com o Deus soberano e todo poderoso da Bíblia. O homem continua sendo o protagonista e Deus coadjuvante na história de sua vida, não gera transformação, confiança e nem dependência de Deus.)
4o. Bíblica, mas técnica e teologicamente pobre: (Correta em sua ênfase nos atos de Deus e não nos atos do homem, enfatiza a grandeza e o poder de Deus, procura promover a dependência e a confiança em Deus, no entanto, muito pobre em sua letra e arranjos, geralmente com repetições excessivas formando um mantra gospel. Em tudo é pobre! Deus merece mais!)
5o. Bíblica e tecnicamente rica: (Correta em sua ênfase nos atos de Deus e não nos atos do homem, busca-se a glória de Deus e não do homem, enfatiza a confiança e dependência em Deus e Seus planos e não nos nossos. Contém riqueza poética, na melodia e nos arranjos. Teologicamente consistente e tecnicamente rica, pois Deus merece o melhor! Gera humildade no adorador, transformação do homem e submissão à soberana vontade de Deus, gera confiança e dependência ao Deus da Bíblia que é amoroso, justo e fiel! Não são apenas os cânticos antigos, mas alguns cânticos contemporâneos são elevados e suprem estes requisitos, basta procurar.
Em resumo, cantamos o que cremos. Boa música sacra, exige necessariamente boa teologia, pois cantamos a nossa fé! Precisamos respeitar a fé dos outros mas é no mínimo esquizofrênico querer ser membro de uma igreja reformada, como a Igreja Presbiteriana do Brasil por exemplo, e cantar a fé de outras vertentes. Queremos apresentar o melhor para Deus e assim evoluir progressivamente até alcançar a excelência para a glória de Deus.
Veja mais sobre o tema na série de estudos: LOUVOR E ADORAÇÃO (Uma perspectiva histórica e teológica)
Anúncios

A maior luta do mundo

19260317_917693575036734_3809767454044979367_n

Tenho visto a Deus face a face, e a minha alma foi salva. (Gênesis 32:30)

A maior luta do mundo ocorre quando o homem luta com Deus. Nesta passagem Jacó havia acabado de lutar com Deus. Uma causa muito específica estava em jogo, mas quando a luta terminou, sua alma foi salva e ele percebeu que esteve face a face com Deus.

Hoje, o homem ainda luta com Deus quando é confrontado em seu coração. Podemos fugir da face de Deus durante toda uma vida, resistir temporariamente ao Seu chamado, nos esconder em meio a roda viva do dia a dia, nos entorpecer e fugir da realidade… No entanto, mais cedo ou mais tarde seremos confrontados com o inevitável. Deus é uma realidade inegável e todos teremos que comparecer perante Ele.

Não fuja, mas se renda o mais cedo possível a esta graça irresistível antes que seja tarde de mais, e descobrirá um Pai amoroso e pronto para nos perdoar e nos aceitar. Veja a Deus face a face e sua alma será salva!

Shrek, a ovelha perdida

150902143314_d_624x351_afp_nocredit.jpg

Shrek, a ovelha perdida que ficou sem tosa por 6 anos. O caso ocorreu na Nova Zelândia e quando ela foi encontrada, já quase não conseguia mais andar, pois dezenas de quilos de lã se tornaram um fardo pesado.

No passado, em terras bíblicas, era comum ovelhas se perderem. Uma rica ilustração usada nos textos antigos para se referir ao ser humano longe de Deus. Enfermidades emocionais e espirituais, e até frustrações religiosas vão se acumulando, se tornando um fardo pesado. Até que Deus, o Pastor de nossas almas nos encontra e nos resgata de vãs filosofias, perdidos em nossas ilusões, cansados dos fardos pesados:

“Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas, e eu as farei repousar, diz o Senhor DEUS. A perdida buscarei, e a desgarrada tornarei a trazer, e a quebrada ligarei, e a enferma fortalecerei…” (Ez 34.15-16)

Por isso o convite de Jesus Cristo para você: “Vinde a mim vós todos que estão cansados e sobrecarregados que eu vos aliviarei” (Mt 11.28)

The Message (A Mensagem)

813oO-4JlHLA tradução da Bíblia segundo Eugene Peterson, intitulada The Message demorou 12 anos para ficar pronta e chamou muita atenção nos último anos, desde seu lançamento. Teve muitos elogios e críticas. Mas para quem conhece e lê os livros e estudos de Peterson não há nenhuma novidade, pois sabe que ao longo destes 40 anos, foi ele mesmo quem fez todas as traduções diretamente dos textos originais gregos e hebraicos para serem usadas em seus estudos e livros publicados.

Na verdade, não é bem uma tradução propriamente dita, mas uma “paráfrase”, uma tradução interpretada, uma devocional do texto Bíblico. A Mensagem é na verdade uma grande devocional de toda a Bíblia, feita por um erudito, um teólogo consistente e profundo, mas que ao mesmo tempo é extremamente sensível e contemporâneo em sua linguagem.

Nos estudos dos Salmos em seu livro “Uma longa obediência na mesma direção” vemos um pouco do seu estilo, e os seus estudos dos Salmos são inusitados, justamente devido sua abordagem diferenciada dos textos originais. Seu trabalho não pretende e nem deve substituir as versões consolidadas da Bíblia, e sua “tradução interpretada” as vezes tem uma linguagem mais literal e as vezes tem expressões mais atuais e modernas.

Confira no SlideShare ou PDF: THE MESSAGE (A Mensagem)

Bono Vox & Eugene Peterson

B-EP-are-1Eugene Peterson é um dos meus teólogos favoritos, ainda vivo. Creio que na medida que amadureço em minha espiritualidade, mais me identifico com sua abordagem e expectativa da vida e de Deus. Seu primeiro livro que li, “O Pastor Contemplativo” me fez rever meu ministério em muitos aspectos. Seu retiro espiritual em Montana com sua esposa por cerca de um ano para meditação e amadurecimento da fé, foi inusitado.

Em um mundo perversamente competitivo, com uma espiritualidade cada vez mais superficial e sabotada pela vaidade de líderes religiosos cada vez mais equivocados com sua agenda cheia, mas uma vida vazia de Deus, Peterson é um remédio urgente!

Neste vídeo o cantor Bono Vox da banda U2 tem um encontro com Peterson e sua esposa Jan para conversar sobre Deus e espiritualidade, especialmente sua obra “The Psalms” em sua cabana em Montana.  Vale cada minuto!

[Coloque as legendas do youtube com tradução para português, os diálogos são claros e com pausa, ficou com boa qualidade]

Alguns momentos em sua “Cabana” nas montanhas onde recebe amigos e produz sua vasta e profunda obra literária. Sua casa fica situada numa baía do Lago Flatchead, cercado de montanhas rochosas e picos nevados na região de Montana nos EUA. Foi aqui que, em retiros espirituais com sua esposa, ele produziu muitos de seus livros lidos mundo a fora. Pastor Presbiteriano por 29 anos na mesma igreja em Maryland, sua sólida formação teológica e experiência pastoral lhe permitiram ser professor emérito no prestigiadíssimo Regent College, no Canadá.  Dentre muitas obras que produziu, destaco sua tradução da Bíblia, publicada sob o título The message.

THE MESSAGE (A Mensagem)

A tradução da Bíblia segundo Eugene Peterson, intitulada The Message demorou 12 anos para ficar pronta e chamou muita atenção nos último anos, desde seu lançamento. Teve muitos elogios e críticas. Mas para quem conhece e lê os livros e estudos de Peterson não há nenhuma novidade, pois sabe que ao longo destes 40 anos, foi ele mesmo quem fez todas as traduções diretamente dos textos originais gregos e hebraicos para serem usadas em seus estudos e livros publicados.

Na verdade, não é bem uma tradução propriamente dita, mas uma “paráfrase”, uma tradução interpretada, uma devocional do texto Bíblico. A Mensagem é na verdade uma grande devocional de toda a Bíblia, feita por um erudito, um teólogo consistente e profundo, mas que ao mesmo tempo é extremamente sensível e contemporâneo em sua linguagem.

Nos estudos dos Salmos em seu livro “Uma longa obediência na mesma direção” vemos um pouco do seu estilo, e os seus estudos dos Salmos são inusitados, justamente devido sua abordagem diferenciada dos textos originais. Seu trabalho não pretende e nem deve substituir as versões consolidadas da Bíblia, e sua “tradução interpretada” as vezes tem uma linguagem mais literal e as vezes tem expressões mais atuais e modernas.

Confira no SlideShare ou PDF: THE MESSAGE (A Mensagem)

Martyn Lloyd-Jones: O Cristão e a Santificação

David Martyn Lloyd-JonesEfésios 1:1 “Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus, aos santos que estão em Éfeso, e fiéis em Cristo Jesus”

Notemos a importância de se manter intacta a relação entre ser santo e ser fiel, a relação entre a santidade e ser crente no Senhor Jesus Cristo. Estas coisas nunca devem ser separadas. Por mais que possamos iludir-nos, isso de cristão teórico não existe. É possível sustentar a doutrina da fé na sala de aulas, dar um assentimento intelectual a estas coisas, porém isso não faz de nós cristãos. Daí Paulo coloca “santos” antes de “fiéis”. Disse o Dr. William Temple: “Ninguém é crente, se não é santo, e ninguém é santo, se não é crente”. Estas duas coisas jamais devem ser separadas, nunca se deve abrir uma lacuna entre a justificação e a santificação. Se você é cristão você está em Cristo, e em Cristo o que acontece é que Ele “para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção” (1 Coríntios 1:30). Você não pode, você não deve tentar dividir Cristo. É falsa a doutrina que diz que você pode ser justificado sem ser santificado. É impossível; você é “santo” antes de ser “fiel”. Você foi separado. É por isso que você crê. Estas coisas estão entrelaçadas indissoluvelmente. Não permita Deus que as separemos ou que as dividamos, jamais! A santidade é uma característica de todos os cristãos e, se não somos santos, a nossa profissão de fé em Cristo não tem valor. Você não pode ser crente sem ser santo, e não pode ser santo, neste sentido neotestamentário, sem ser crente. “Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem”.

Deus, o Sofrimento e Sorvetes!

tumblr_lsyi1d90xv1qjrrofo1_500_largeAcabei de ler sobre Charles Templeton, talvez poucos conheçam, mas foi um evangelista que dividia o púlpito com Billy Graham em grandes cruzadas pela Europa e América no início da carreira dos dois. Inacreditavelmente, Templeton se tornou um agnóstico e abandonou seu ministério e sua fé. Passou a escrever livros questionando a existência de Deus. Começou a seguir por este caminho da dúvida ao contemplar o sofrimento humano. Muitos teólogos modernos seguiram por um caminho semelhante e acabaram incrédulos ou perto disso aderindo à Teologia Relacional, que nega o Deus soberano da Bíblia.

Não posso subestimar o sofrimento humano. Estou digitando este texto de dentro de um Centro de Tratamento Oncológico, não preciso dizer mais nada. Tive que aprender a lidar com o sofrimento muito cedo, perdi minha mãe aos 7 anos, câncer. Perdi meu irmão adolescente de 17 anos, de outra doença grave. Vi meu pai se entregar aos vícios (hoje está liberto). Saí de casa ainda adolescente, entrei para o mundo das drogas e saí, vi e vivi coisas que poucos na minha idade viram. Enquanto escrevia este texto, precisei parar para confortar um amigo que havia acabado de perder a sua mãe e não poderei estar presente. Logo, não subestimo nenhum sofrimento, sei muito bem o que é isso!

Acredito que é impossível compreender o sofrimento humano, enquanto olhamos para ele da nossa perspectiva e não da perspectiva de Deus. Meu filho mais novo detesta ir ao dentista. Ele sofre tanto que parece que vai morrer. É o fim do mundo. Para ele aqueles minutos duram uma eternidade. Não há nada que eu fale ou faça que o conforte. Tenho que aguardar aqueles eternos minutos passarem. Depois vamos em uma sorveteria e logo ele esquece todo seu sofrimento.

Enquanto estamos presos a esta dimensão de “espaço e tempo”, o sofrimento humano parece ser eterno e inesgotável. Deus criou o tempo e tudo aqui tem início, meio e fim. Assim como eu assisto meu filho na cadeira do dentista, Deus pacientemente me assiste em meus dilemas e sofrimentos humanos, sabendo que logo tudo passará. Ele está comigo no início, no meio e no fim de todo e qualquer sofrimento. Não há o que reclamar ou questionar, nunca estou só. Saber que Ele está soberanamente no controle de tudo, é confortante. Ele é eterno, mas aqui nada é eterno e como uma consulta no dentista, tudo passa muito rápido, inclusive a dor e o sofrimento. Em breve, tomaremos sorvetes juntos. Pense nisso!