A Fidelidade dos Recabitas

diapais.jpg

Conheça a história dos Recabitas, a maior história de influência de um pai sobre seus filhos. A fidelidade deles serviu de contraste com a infidelidade do povo de Deus no passado.

Anúncios

Exposição de 2a Tim 4:9-18 “Cinco Decisões da Maturidade” 

escolhas da maturidade.jpg

Aguardando a sentença que levaria a sua execução. De dentro de uma masmorra em Roma o Apóstolo Paulo escreve a sua última carta. Quais são as últimas palavras de um homem no corredor da morte? Depois que completou sua jornada de fé e espiritualidade, depois de “combater o bom combate e completar a sua carreira sem perder a fé”, Paulo revela as “Cinco Decisões da Maturidade!”

Cinco escolhas da MATURIDADE
1. Escolher manter as verdadeiras amizades;
2. Escolher restaurar as velhas amizades;
3. Escolher cuidar do corpo da mente e do espírito;
4. Escolher confiar na justiça Deus;
5. Escolher se fortalecer em Deus;

Publicado em Sem categoria

Métodos de Satanás e a Luta Espiritual

Este tema tem inúmeras interpretações equivocadas. Satanás é visto por muitos como nos filmes hollywoodianos, em objetos que se movem, lugares, territórios, etc. Líderes e gurus espirituais se aproveitam disso e mantém cativas as pessoas na ignorância espiritual. Mas a Bíblia nos ensina algo totalmente diferente.

Em Efésios 6.11 a Bíblia afirma que devemos nos “Revesti de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo”. CILADAS no grego é METODÉIAS (Métodos. engano, truque, estratégia) Precisamos conhecer os astutos métodos de Satanás para enganar e escravizar as pessoas.

Em 2a Corítios 10:4 Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas (logismos= argumento lógico). Neste vídeo vemos alguns destes método: Razão Humana (argumentos e lógica), Emoções Humanas (ira, raiva, falta de perdão, ódio), Falhas Humanas, Perseguição, Persistência, oportunismo… Assista o vídeo completo em https://www.youtube.com/watch?v=y2fVgjVX2fs

Resumo dos métodos de Satanás no dia a dia:

Cantamos aquilo que cremos?

LOUVOR.jpg
A música GOSPEL em cinco categorias, com sua ênfase de acordo com cada contexto em que foi composta, refletindo suas respectivas teologias e crenças, em uma escala de qualidade progressiva:
1o. Ênfase Neopentecostal: (Cântico triunfalista, enfatiza o sucesso do homem em detrimento da glória de Deus. De acordo com sua teologia, seus cânticos nos ensinam a determinar e exigir as bênçãos de Deus, o homem é senhor de sua história e destino, Deus é servo. Gera frustração, decepção e abandono da fé a longo prazo).
2o. Ênfase Pentecostal: (Obsessão por cura e vitoria, ensina e estimula a tomar posse da bênção, faz declarações de curas e vitórias humanas em detrimento da dependência de Deus, não leva o adorador à humildade, não enfatiza mudança e transformação de vida, nem submissão à vontade soberana de Deus. Um pouco menos pior que a anterior, mas ainda assim, ensina que o homem é senhor de sua história e destino e Deus é um servo. Gera frustração, decepção e desânimo na fé, ao enfrentar a realidade da vida e a longo prazo também pode levar o cristão a abandonar sua fé).
3o. Antibíblica e antropocêntrica: (Centrada no homem, enfatiza os atos dos homens e não os atos de Deus, canta-se o que os homens fazem, falam, tocam, pisam, sobem, descem, etc. Não se canta os atos e as grandezas de Deus, não tem nada com o Deus soberano e todo poderoso da Bíblia. O homem continua sendo o protagonista e Deus coadjuvante na história de sua vida, não gera transformação, confiança e nem dependência de Deus.)
4o. Bíblica, mas técnica e teologicamente pobre: (Correta em sua ênfase nos atos de Deus e não nos atos do homem, enfatiza a grandeza e o poder de Deus, procura promover a dependência e a confiança em Deus, no entanto, muito pobre em sua letra e arranjos, geralmente com repetições excessivas formando um mantra gospel. Em tudo é pobre! Deus merece mais!)
5o. Bíblica e tecnicamente rica: (Correta em sua ênfase nos atos de Deus e não nos atos do homem, busca-se a glória de Deus e não do homem, enfatiza a confiança e dependência em Deus e Seus planos e não nos nossos. Contém riqueza poética, na melodia e nos arranjos. Teologicamente consistente e tecnicamente rica, pois Deus merece o melhor! Gera humildade no adorador, transformação do homem e submissão à soberana vontade de Deus, gera confiança e dependência ao Deus da Bíblia que é amoroso, justo e fiel! Não são apenas os cânticos antigos, mas alguns cânticos contemporâneos são elevados e suprem estes requisitos, basta procurar.
Em resumo, cantamos o que cremos. Boa música sacra, exige necessariamente boa teologia, pois cantamos a nossa fé! Precisamos respeitar a fé dos outros mas é no mínimo esquizofrênico querer ser membro de uma igreja reformada, como a Igreja Presbiteriana do Brasil por exemplo, e cantar a fé de outras vertentes. Queremos apresentar o melhor para Deus e assim evoluir progressivamente até alcançar a excelência para a glória de Deus.
Veja mais sobre o tema na série de estudos: LOUVOR E ADORAÇÃO (Uma perspectiva histórica e teológica)

Características dos Falsos Profetas – Exposição de 2a Pedro 2.1-3

Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade;”  (2a Pedro 2:1-3)

Quatro Características dos Falsos Mestres:

  1. Eles surgem no meio do povo.
  2. Eles introduzem dissimuladamente heresias destruidoras.
  3. Eles fazem muitos seguidores.
  4. Eles fazem comércio do povo.

Teologia da Prosperidade, Confissão Positiva (Declarar, decretar e determinar prosperidade e cura) e muitas outras heresias do nosso tempo.

LOUVAR É BENDIZER AS GRANDEZAS E OS FEITOS DE DEUS (Salmo 145)

“As pessoas estão morrendo famintas da grandeza de Deus, mas muitas delas não fariam este diagnóstico de suas vidas perturbadas” John Piper.

Acreditamos que somente o verdadeiro louvor que enfatiza a glória de Deus é vital para manter a saúde espiritual da igreja. Pois, “se a busca da glória de Deus não for colocada acima da busca do bem humano nas afeições do coração e nas prioridades da igreja, o homem não será bem servido e Deus não será devidamente honrado.” John Piper (Alegrem-se os povos)

Música de louvor é técnica e literalmente música em que cantamos as grandezas e os feitos de DEUS. Qualquer coisa diferente disso, não é louvor.

Existem outros tipos de músicas, que são úteis para outros propósitos. Por exemplo, na Escola Bíblica Dominical as crianças cantam a sequência dos livros da Bíblia, histórias de personagens bíblicos como aquela antiga música de Barnabé de Chipre, etc… Óbvio que isto não é louvor! Mas tem outra utilidade, como a memorização por exemplo. Creio até que, durante uma pregação ou estudo, podemos usar a letra de uma música ou poesia (secular ou cristã) para reforçar algum ensinamento Bíblico, ilustrar (lançar luz) uma verdade, enfatizar um ponto, algo que faço muito, consciente de que isto não é uma música de louvor.

O verdadeiro louvor deve nos levar a literalmente bendizer a Deus e toda congregação deve participar. Um Culto que gira em torno de um grande Coral, por exemplo, que faz maravilhosas apresentações e que a congregação não participa, é no mínimo estranho pois o propósito de um coral ou grupo de louvor deveria ser o de conduzir e auxiliar a igreja na adoração enquanto todos cantam. Creio até que eventualmente podemos ter, como fazemos, músicas que contam e narram histórias bíblicas em uma Cantata ou logo após uma pregação, onde a congregação não participa e apenas o grupo canta. A letra pode ter o propósito de enfatizar e ajudar a fixar a mensagem pregada ao narrar eventos e histórias Bíblicas ou de personagens Bíblicos, mais do que propriamente bendizer os grandes feitos de Deus. Isto pode acontecer e acontece, e creio que pela própria natureza deste estilo, o propósito é outro. Uma música, logo após uma mensagem por exemplo, pode reforçar o que foi pregado sem necessariamente convidar a igreja para se colocar em pé e louvar a Deus. Já fizemos isso muitas vezes.

Mas o pior de tudo mesmo é chamar a igreja para louvar (bendizer os feitos de Deus) e cantar as músicas evangélicas de hoje que enfatizam os feitos do homem e não de Deus. Letras como “Quero subir, quero tocar, quero pisar…” claramente não têm nada de louvor. Tem música que parece mais um mantra gospel, pois repete infinitamente palavras que não dizem nada a respeito das grandezas de Deus. São pobres na letra, nos arranjos, na melodia… em tudo! Posso gostar e ouvir em meu carro ou em minha casa, em momentos de entretenimento como ouço qualquer outra música, evangélica ou não. Gosto não se discute! Mas no louvor, meu gosto musical não pode ser mais importante e sobrepor ensinos claros e precisos da Bíblia.

A Igreja Presbiteriana do Brasil é uma igreja bíblica-reformada, e assim, acredita que devemos cantar as grandezas e os grandes feitos de Deus como lemos no Salmo 66, que nos convida a dar glórias a Deus e louvá-Lo dizendo: Dizei a Deus: Que tremendos são os teus feitos! Pela grandeza do teu poder.” (Salmo 66)  Louvar significa literalmente bendizer, e se o Culto é para o louvor de Deus, as músicas adequadas para louvor são somente aquelas que exaltam os grandes feitos e a grandeza de Deus e não do homem. Somos convidados a louvar a Deus pelo que Ele é e pelo que Ele faz. Os Salmos nos ensinam isso, leia atentamente o Salmo 145:

1 Exaltar-te-ei, ó Deus meu e Rei; bendirei o teu nome para todo o sempre. 2 Todos os dias te bendirei e louvarei o teu nome para todo o sempre. 3 Grande é o SENHOR e mui digno de ser louvado; a sua grandeza é insondável. 4 Uma geração louvará a outra geração as tuas obras e anunciará os teus poderosos feitos.  5 Meditarei no glorioso esplendor da tua majestade e nas tuas maravilhas. 6 Falar-se-á do poder dos teus feitos tremendos, e contarei a tua grandeza. 

Qualquer outra ênfase musical pode ser útil para entretenimento pessoal, mas nunca para conduzir o podo de Deus em louvor e adoração.

LOUVAR: BENDIZER AS GRANDEZAS E OS FEITOS DE DEUS (Salmo 145)

 

Publicado em Sem categoria