A Comunicação no Período da Pré-Reforma

joaoCalvinoEstudandoA propagação do Calvinismo no século XVI se deu de forma muito rápida e eficiente. Muitas vezes as idéias de Calvino suplantavam as de Lutero e frutificavam em regiões tão diversas como as da França, Escócia, Holanda e Hungria. Para compreender esta questão da comunicação é preciso admitir que a transmissão de idéias, depende muito da sociedade em que elas são expressas. Os meios de comunicações atuais estão bem desenvolvidos, no entanto, na época de Calvino as coisas eram bem diferentes. Para entendermos melhor como as suas idéias foram transmitidas precisamos compreender os antecedentes sociais da Reforma e o desenvolvimento dos meios de comunicação.

Houve muitos acontecimentos sociais antes da Reforma que mudaram a Europa. Tragédias como a Peste Negra, movimentos como a Renascença iniciada no século XIV, descobertas geográficas, principalmente a da América, assim como outros acontecimentos ocorreram de forma que por volta de 1500 a Europa era um Continente muito diferente. Certamente estas mudanças todas tiveram sua influência sobre o padrão de comunicação. A grande maioria de pessoas eram analfabetas e a sociedade medieval era uma sociedade basicamente oral e visual.

Até que a redescoberta da literatura clássica, despertou um novo interesse pela educação e pela cultura. Um novo grupo de leitores começou a surgir, até que, com a invenção da imprensa houve uma revolução no padrão de comunicação. No início a imprensa era feita com blocos de madeira e por volta de 1450, João Gutenbergue desenvolveu na Alemanha uma liga de metal que permitiu fazer tipos móveis de blocos e  isto revolucionou significativamente o processo de impressão. Já no século dezesseis uma das suas características foi a aceleração do processo que se iniciou cerca de cinqüenta ou cem anos antes. Houve uma aceleração no desenvolvimento do comércio com seu conseqüente estímulo ao crédito, operações bancárias e investimentos. Estas mudanças econômicas produziram mudanças nas relações das classes sociais assim como em sua distribuição geográfica.

Neste tempo houve muitas diferenças e conflitos ideológicos, no entanto, a maior das mudanças intelectuais veio com a Reforma, iniciada com Lutero ao fixar as suas 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenbergue. Estas teses foram traduzidas para o alemão e foram feitas inúmeras cópias graças a imprensa. A Reforma se alastrou tomando forma até na Suíça liderada por Zwínglio. Em Genebra muitos acontecimentos prepararam a implantação da Reforma. O Bispo foi expulso e o Duque de Sabóia precisou fugir, até que em 1535 Guillaume Farel, um pregador protestante chegou em Genebra onde logo tratou de implantar uma reforma religiosa.

O sucesso na disseminação das idéias de Calvino pode ter sido causado em parte próprio estilo, era um pensador e escritor sistemático. No entanto, houve alguns fatores circunstanciais de seu trabalho e uma situação que pela providência de Deus lhe deram condições para exercer sua influência ampla e efetiva.

Dentre os meios básicos usados por Calvino para disseminação de seus pensamentos, podemos destacar as suas pregações, seus cursos, seus contatos pessoais e principalmente seus escritos.

Além de seu trabalho como pregador, (pregava cerca de cinco vezes por semana, além de suas preleções Bíblicas) também atuava como professor. Desenvolveu um sistema educacional para crianças de onde finalmente surgiu a academia de Genebra, que recebia estudantes de vários países. Calvino também mantinha contato com homens e mulheres através de correspondências por toda a Europa. De seus escritos, destacamos as “Institutas da Religião Cristã” que certamente foi o mais importante. Era também um panfletário, pois através de inúmeros panfletos que escreveu, esclarecia o povo em vários assuntos, principalmente referentes a algumas doutrinas e práticas cristãs. Seus escritos, geralmente produzidos em Latim, logo eram traduzidos nas línguas vernáculas nos países que chegavam.

Finalmente, seu trabalho não era meramente um exercício teórico, pois ele era um homem prático que acreditava que o pensamento precisa produzir ação.

Fonte: “Calvino e sua Influência no Mundo Ocidental” org. por W. Stanford Reid. Capítulo 2 – A Propagação do Calvinismo no séc. XVI

Anúncios

Obras de João Calvino (Institutas)

John_Calvin01Nascido em 10 de Julho de 1509 em Noyon, França, João Calvino cresceu em uma família católica romana tradicional. O bispo local empregou o pai de Calvino na administração da catedral da cidade, o qual, em troca, queria que Calvino se tornasse padre. Devido aos laços estreitos com o bispo e sua nobre família, companheiros e colegas de Calvino em Noyon (e mais tarde em Paris) tiveram uma influência aristocrática e cultural sobre a juventude de Calvino. Aos 14 anos de idade, Calvino mudou-se para Paris, a fim de estudar no College de Marche e preparar-se para a universidade. Seus estudos consistiam nas matérias: gramática, retórica, lógica, aritmética, geometria, astronomia e música. Ao final de 1523, Calvino transferiu-se para a famosa College Montaigu, uma espécie de escola do monastério. Nessa época, a educação de Calvino foi custeada, em parte, pelo lucro de pequenas paróquias. Assim, embora os novos ensinos teológicos de pessoas como Lutero e Jacques Lefevre d’Etaples estivessem se espalhando por toda Paris, Calvino estava mais ligado à Igreja Romana. No entanto, em 1527, Calvino fez amizade com pessoas que tinham uma visão reformada.

Esses contatos formaram o cenário para a eventual mudança de Calvino para a fé reformada. Também, nessa época, o pai de Calvino o aconselhou a estudar direito ao invés de teologia. Em 1528, Calvino mudou-se para Orleans para estudar direito civil. Nos anos seguintes, estudou em vários lugares e sob a orientação de vários eruditos, enquanto recebia uma educação humanista. Em 1532, Calvino terminou seus estudos na área de direito e também publicou seu primeiro livro, um comentário sobre De Clementia [Sobre a Misericórdia], do filósofo romano Sêneca. No ano seguinte, Calvino fugiu de Paris devido aos contatos que teve com pessoas que, através de oratórias e escritos, se opunham à Igreja Católica Romana.

Diz-se que em 1533 Calvino tenha experimentado uma conversão súbita e inesperada, sobre a qual escreveu em seu prefácio dos comentários sobre Salmos. Nos três anos seguintes, Calvino viveu em vários lugares fora da França com diferentes nomes. Estudou por conta própria, pregou e começou a trabalhar em sua primeira edição das Institutas – um best seller instantâneo. Em 1536, Calvino desvinculou-se da Igreja Católica Romana e fez planos para sair para sempre da França e ir para Estrasburgo. Entretanto, a guerra entre Francisco I, rei da França, e Carlos V, imperador do Sacro Império Romano, eclodiu, e Calvino decidiu fazer um desvio de uma noite para Genebra. Mas a fama de Calvino em Genebra o precedeu. Guillaume Farel, um reformador local, o convidou para ficar em Genebra e o ameaçou com a ira de Deus se não o fizesse. Assim, começou uma longa, difícil, mas, finalmente, frutífera relação com a cidade de Genebra. Calvino começou como professor e pregador, mas em 1538 foi convidado a deixar Genebra devido a conflitos teológicos. Ele foi para Estrasburgo, onde ficou até 1541. Sua estada ali como pastor de refugiados franceses foi tão pacífica e feliz que em 1541, quando o Conselho de Genebra o convidou de volta, Calvino ficou profundamente dividido. Ele desejava permanecer em Estrasburgo, mas sentiu grande responsabilidade em retornar para Genebra. Ele fez isso e permaneceu em Genebra até a sua morte, em 27 de maio de 1564. Esses anos foram preenchidos com aulas, pregações e escritos de comentários, tratados e várias edições de As Institutas da Religião Cristã. Fonte: http://www.calvin.edu/about/john-calvin/

Sua Principal Obra: Instituição da Religião Cristã

A-Instituição-Da-Religião-Cristã-1

Um dos tratados teológicos mais influentes da história do Cristianismo, Instituição da religião cristã é a obra máxima de Calvino, resultado de quase trinta anos de reflexões do pensador franco-suíço. Em 2008, a editora UNESP, em parceria com o Banco Itaú, lançou uma nova edição das Institutas, a partir de sua edição final, em Latin, de 1559. Esta edição tem sido bem aceita pelos leitores em função de sua leitura fácil. Os quatro volumes estão disponibilizados em PDF na internet, divididos em 2 Tomos:

Joao Calvino – A Instituicao da Religiao Crista – Tomo I (UNESP)

Joao Calvino – A Instituicao da Religiao Crista – Tomo II (UNESP)

Acesse também de graça e leia os comentários bíblicos e outras obras de João Calvino na “Biblioteca João Calvino” da Editora FIEL. Clique na imagem para ser direcionado ao site:

bibliotecajoaocalvino.jpg

Estudos no Breve Catecismo de Westminster

CONHECENDO O DEUS QUE ADORAMOS

No tema de 2017 da Igreja Presbiteriana Vila Alpes de São Carlos: “Deus procura adoradores que o adorem em espírito e em verdade” (João 4) temos enfatizado a necessidade de conhecer o Deus que adoramos. Este conhecimento é condição para a adoração, pois corremos o risco de “adorar quem não conhecemos” (Jo 4.22) como disse Jesus para alguns da sua época que eram fervorosos na adoração, mas pobres no conhecimento de Deus. Devemos antes, crescer na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.” (2ª Pe 3.18).

assembleia de westminster
Pintura representando a Assembléia de Westminster (1643-1649)

A nossa igreja tem como única regra de fé e prática, a Bíblia. No entanto, sabemos que para se estudar a Bíblia é necessário um roteiro sistemático para nos guiar com segurança nos vários assuntos que a Bíblia apresenta. Seguindo as Igreja Presbiterianas e Reformadas em todo o mundo, adotamos como nossos “Símbolos de Fé” a Confissão de Fé de Westminster e os seus Catecismos. A história destes documentos é muito interessante, pois o Parlamento da Inglaterra, sentindo a necessidade de documentos que representassem os principais pontos da fé Reformada e que servissem de parâmetro oficial de fé e comportamento ético aos seus cidadãos, convocou uma Assembléia ( de julho de 1643 a fevereiro de 1649 ), que se reuniu na Abadia de Westminster, composta de cento e vinte clérigos, os seus melhores teólogos, mais dez membros da Casa dos Lordes, vinte da Casa dos Comuns e oito representantes puritanos. Durante vários anos eles se reuniram e elaboraram vários documentos, mas se destacam:

  • Confissão de Fé de Westminster
  • Catecismo Maior de Westminster
  • Breve Catecismo de Westminster

O Breve Catecismo de Westminster é composto de 107 perguntas e respostas a cerca dos principais pontos da nossa fé. Seguem os links e material em PDF para seu enriquecimento e crescimento espiritual.

BREVE CATECISMO DE WESTMINSTER COMPLETO EM PDF PARA BAIXAR:

brevectw
CLICAR NA IMAGEM PARA VISUALIZAR O CATECISMO COMPLETO EM PDF

Uma Segunda opção para visualizar o Breve Catecismo de Westminster online é no SlideShare (BREVE CATECISMO ONLINE)

Estamos estudando este material com a igreja, e utilizaremos um material organizado pelo Rev. Éber Lenz Cesar que organiza as 107 perguntas em 13 lições muito bem elaboradas.  Está sendo adicionado aos poucos cada lição, conforme avançamos nos estudos. Para visualizar e baixar as lições, basta clicar em cada uma delas.

Estudo 01 – Para que existimos? (Pergunta 1)
Estudo 02 – Nossa regra de fé e prática (Pergunta 2)
Estudo 03 – A natureza de Deus (Perguntas 3 e 4)
Estudo 04 – Um Deus… Três Pessoas (Perguntas 5 e 6)
Estudo 05 – Os Decretos de Deus (Perguntas 7 e 8)
Estudo 06 – A Criação do mundo e do homem (Perguntas 8, 9 e 10)
Estudo 07 – A Providência de Deus (Perguntas 11)
Estudo 08 – O Pacto das Obras (Perguntas12). E leitura suplem.
Estudo 09 – O primeiro pecado e sua extensão (Perguntas 13 a 18)
Estudo 10 – As consequências do pecado (Pergunta 19)
Estudo 11 – A eleição (Pergunta 20). E leitura suplementar.
Estudo 12 – O Pacto da Graça (Pergunta 20)
Estudo 13 – O Redentor dos escolhidos (Perguntas 21 e 22)

FILHOS DA ALIANÇA E A REGENERAÇÃO

A Salvação Eterna de bebês abortados espontaneamente ou não, e de crianças mentalmente incapazes ou que morreram na infância, á luz das Sagradas Escrituras e da Confissão de Fé de Westminster.

unnamed

“As crianças eleitas, morrendo na infância, são regeneradas e salvas por Cristo através do Espírito, o qual opera quando, onde e como lhe apraz. Assim também se dá com todas as demais pessoas eleitas que são incapazes de ser exteriormente chamadas pelo ministério da Palavra.” (C.F.W. X – III)

Antes de tratar especificamente da regeneração, é necessário lembrar primeiramente que todos os homens estão mortos espiritualmente desde o seu nascimento. No Cap. VI. seção II da Confissão de Fé de Westminster, lemos que quando os nossos primeiros pais Adão e Eva pecaram, eles “caíram de sua justiça original e de sua comunhão com Deus, e assim se tornaram mortos em pecado, e totalmente corrompidos em todas as faculdades e partes da alma e do corpo.” 

Esta afirmação da CFW está fundamentada em vários textos Bíblicos, mas principalmente na Carta do Apóstolo Paulo aos Efésios, quando afirma aos seus leitores: “Ele vos deu vida estando vós mortos nos vossos delitos e pecados” (Efésios 2:1) Após o pecado de Adão e Eva, todos os seus descendentes, ou seja, toda a raça humana tornou-se espiritualmente morta. Na Carta aos Romanos, o Apóstolo diz ainda que “pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte” (Rom. 5:17). E todos os homens estão nesta mesma situação, pois “por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação” (Rom. 5:18).

Tendo em vista que todos os homens estão mortos espiritualmente em seus delitos e pecados, quando salvos, necessariamente precisam ser regenerados e á luz da Confissão de Fé de Westminster compreendemos que os eleitos e somente os eleitos é que são regenerados:

Continuar lendo “FILHOS DA ALIANÇA E A REGENERAÇÃO”

A história da Bíblia – Scriptorium

A história completa da Revelação de Deus. Conceitos de Revelação geral e especial, inspiração, organização, preservação, canonicidade, Massoretas, pergaminhos do mar morto, descobertas arqueológicas, traduções, John Wycliffe, João Gutenberg, etc.

Tema que estou abordando nos grupos de estudo. Um dos melhores vídeos sobre o assunto.

Trindade ou Tri-Unidade?

CAP. 2 – DE DEUS E DA SANTÍSSIMA TRINDADE – CFW

TRINDADE OU TRI-UNIDADE?

TRI-UNIDADE NO “SHEMA”:

Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus, é o único SENHOR. Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. (Deuteronômio 6:4,5)

Português:    Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus, é o único SENHOR.

Hebraico:        Shema Ysrael Yahweh  Elohenu Yahweh Echad

O USO DE UNIDADE NA BÍBLIA:

1 – UNIDADE COMPOSTA (COLETIVA): ECHAD (SUBSTANTIVO COLETIVO)

“Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma (ECHAD) só carne.” Gênesis 2:24

“Depois, vieram até ao vale de Escol e dali cortaram um (ECHAD) ramo de vide com um (ECHAD) cacho de uvas, o qual trouxeram dois homens numa vara, como também romãs e figos.” Números 13:23

2 – UNIDADE ABSOLUTA: YACHID (SINGULARIDADE ABSOLUTA)

Acrescentou Deus: Toma teu filho, teu único (YACHID) filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá; oferece-o ali em holocausto, sobre um dos montes, que eu te mostrarei. Genesis 22:2

TRI-UNIDADE DE DEUS:

GÊNESIS 1:26,27 (FAÇAMOS O HOMEM A NOSSA IMAGEM…)

GÊNESIS 3:22,23 (O HOMEM SE TORNOU COMO UM DE NÓS…)

GÊNESIS 11:7,8 (VINDE, DESÇAMOS E CONFUNDAMOS ALI A SUA LINGUAGEM…)

UMA PERSONALIDADE POSSUI:

1- AUTOCONSCIÊNCIA

2- INTELIGÊNCIA (CAPACIDADE DE PLANEJAR, RELACIONAR FATOS)

3- AUTODETERMINAÇÃO (CAPACIDADE DE EXECUTAR O QUE PLANEJOU)

4- AFEIÇÕES (CAPACIDADE DE AMAR, ODIAR, TER CIÚMES) ver Tiago 4:5

HÁ UM SÓ DEUS QUE SUBSISTE EM TRÊS PESSOAS (TRIPESSOAL):

1- DEUS PAI (Envia e opera através de Ambos: Filho e Espírito Santo)

NÃO É GERADO NEM PROCEDENTE

2- DEUS FILHO (Enviado pelo Pai e Age e Revelao Pai.  Envia e opera através do Espírito)

É ETERNAMENTE GERADO DO PAI    João 1:14,18

3- DEUS ESPÍRITO SANTO (Enviado por Ambos, Age para ambos e Revela a Ambos)

É ETERNAMENTE PROCEDENTE DO PAI E DO FILHO  João 15:26, Gálatas 4:6

DIVINDADE DE CRISTO E DO ESPÍRITO SANTO

1 – DIVINDADE DE CRISTO

João 1:1,14 (O Verbo era Deus e se fez carne)

João 14:8,9 (Quem vê a mim vê o Pai)

Romanos 8:9 (Espírito de Deus = Espírito de Cristo)

DIVINDADE DE CRISTO (no nome de Deus)

hw”hy> YAHWEH: (Tetragrama YHWH) SIG.: SER, ESTAR, TORNAR-SE

Traduzido:  como Yavé ou SENHOR (ver Êxodo 34:6 na ARC)

A leitura do texto hebraico em Sinagogas, para não se usar o nome de Deus em vão,  os judeus substituem o YAHWEH por SENHOR (Adonai em hebraico ou Kirion em grego)

Os textos bíblicos que usam SENHOR em letra maiúscula, é porque no original está YAHWEH

“Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão, porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.”   Êxodo 20:7

O uso da expressão “EU SOU”:

  • “EU SOU” : DEUS PAI: Êxodo 3:13 a 15
  • “EU SOU” : DEUS FILHO: João 8:56 a 58

2 – DIVINDADE DO ESPÍRITO SANTO

Atos 5:3,4 (Mentir para Espírito Santo = Mentir para Deus)

2ª Coríntios 3:17,18 (O Senhor o Espírito)

1ª Coríntios 2:10,11 (Somente o Espírito conhece as profundezas de Deus)

TRI-UNIDADE NA OBRA DA REDENÇÃO: 1ª PEDRO 1:1,2

1- DEUS PAI: ELEIÇÃO  (PLANEJA)

2- DEUS FILHO: ASPERÇÃO PELO SANGUE (EXECUTA)

3- DEUS ESPÍRITO: SANTIFICAÇÃO (APLICA)

TRI-UNIDADE NO BATISMO: MATEUS 28:19

1- DEUS PAI: NO NOME DO PAI

2- DEUS FILHO: NO NOME DO FILHO

3- DEUS ESPÍRITO: NO NOME DO ESPÍRITO SANTO

TRI-UNIDADE NA BENÇÃO APOSTÓLICA: 2ª CORÍNTIOS 13:13 (ORDEM INVERTIDA)

1- DEUS FILHO: GRAÇA DE JESUS

2- DEUS PAI: AMOR DE DEUS

3- DEUS ESPÍRITO: COMUNHÃO DO ESPÍRITO SANTO

1. O CRISTÃO PRECISA DO PAI: O Pai é o Criador, Legislador, Juiz, Provedor de todas as coisas, nos amou tanto a ponto de mandar Seu Filho para morrer na Cruz por nossos pecados.

2. O CRISTÃO PRECISA DO FILHO: O Filho é o Unigênito do Pai, é o Redentor, Sumo Sacerdote, Rei Eterno, que governa com a Palavra e o Espírito.

3. O CRISTÃO PRECISA DO ESPÍRITO SANTO: O Espírito Santo é que regenera e conduz a toda a verdade, O Espírito que é nosso Consolador, Preservador, nos faz compartilhar de Cristo e todos os seus benefícios.